Viver com Borderline: «É como se fosse uma bomba-relógio»

  • 23 nov, 18:40

No «Goucha», conhecemos a história de Joana Ramos, que sofre de uma perturbação de personalidade Borderline.

Imagine que vivia a sua vida numa constante insatisfação e grande instabilidade emocional. Esta era a vida de Joana Ramos até ser corretamente diagnosticada com Borderline, uma perturbação de personalidade. «É como se fosse uma bomba-relógio», admite a própria.

Joana viveu uma infância feliz até à separação dos pais, que deixou a sua mãe com um esgotamento profundo. Como se isso não bastasse, Joana passou os seus tempos de adolescente a ser vítima de bullying por parte daqueles que considerava seus amigos. Tudo isto culminou em automutilação, transtornos alimentares e até tentativa de suicídio. 

Carmen, mãe de Joana, culpa-se até hoje por não ter estado mais atenta aos sinais e alerta os pais para não caírem no mesmo erro. Hoje, Joana está corretamente medicada e vive feliz com o seu companheiro, Jonas, e a sua filha.

MAIS