O fundador da Academia do Johnson, João Semedo Tavares, que trabalhava com jovens de bairros carenciados na Grande Lisboa, morreu hoje aos 50 anos de idade devido a problemas de saúde, disse à Lusa fonte familiar.

Inspirador para centenas de crianças e jovens, que há anos apoiava através de atividades desportivas e sociais, João Semedo Tavares ficou conhecido por assumir a sua passagem pela prisão e disso ter feito uma lição de vida, que procurou transmitir.

Nos últimos anos concretizou o seu projeto de apoiar as crianças e os jovens de bairros desfavorecidos, nomeadamente na Amadora, através da educação e do desporto e com a criação da Academia do Johnson.

Também realizou várias palestras, através das quais contou o seu percurso, revelando aos mais jovens que o crime não compensa e que o futuro passa pela educação e pelo desporto, como o futsal, modalidade de que era jogador e treinador.

O seu lema “Somos Aquilo que Fazemos!” foi multiplicado nos últimos anos em vários espaços sociais, com o propósito de demonstrar que as ações de cada um constroem aquilo em que cada um se torna.

O objetivo da Academia do Johnson, conforme é apresentado no seu ‘site’, é “melhorar a vida dos jovens e dar-lhes as ferramentas de que precisam para se tornarem adultos felizes e com sucesso”.

A associação foi este mês distinguida com uma menção honrosa do Prémio Manuel António da Mota.

João Semedo, que se empenhou em fazer a “diferença na vida destes jovens”, morreu às 06:00 de hoje em casa, rodeado da família.

Desde que a notícia da morte de Johnson, como era conhecido, foi conhecida, têm-se multiplicado as mensagens de pesar nas redes sociais, nas quais o seu papel e amizade são recordados por muitos.

Marcelo lamenta a morte de João Semedo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou entretanto a morte de João Semedo Tavares. Numa mensagem publicada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, o chefe de Estado "apresenta as suas sentidas condolências à família e amigos de Johnson Tavares Semedo".

Marcelo Rebelo de Sousa enaltece o trabalho da Academia do Johnson, "associação que tantas vidas tocou no concelho da Amadora e no país", que visitou em fevereiro de 2020.

Nesta nota de pesar pela morte de João Semedo, o Presidente da República "recorda o seu exemplo e ativismo na inclusão dos jovens pelo desporto, que teve o privilégio de conhecer e acompanhar no terreno".

/ PP