"Todos os aliados da NATO concordaram que a Ucrânia deve ser membro da Aliança": Jens Stoltenberg - TVI

"Todos os aliados da NATO concordaram que a Ucrânia deve ser membro da Aliança": Jens Stoltenberg

  • CNN Portugal
  • AM com Lusa
  • 21 abr 2023, 09:34

Secretário-geral da NATO sublinha que o principal objectivo neste momento é assegurar que a Ucrânia triunfa contra a Rússia.

Relacionados

O secretário-geral da NATO anunciou esta sexta-feira que "todos os aliados da NATO concordaram que a Ucrânia deve ser membro da Aliança". Em declarações feitas antes da reunião do Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia na base aérea de Ramstein, na Alemanha, Jens Stoltenberg garantiu que todos os aliados da NATO concordaram que a Ucrânia acabará por se tornar membro da aliança, mas adiantou que o principal objectivo agora é assegurar que o país triunfa contra a Rússia.

Stoltenberg disse ainda aos jornalistas que, uma vez terminada a guerra na Ucrânia, Kiev deve ter "a dissuasão para evitar novos ataques".

O Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia reúne-se esta sexta-feira na base aérea norte-americana de Ramstein (Alemanha) com atenções centradas num possível fornecimento a Kiev de armas de longo alcance, matéria que ainda suscita divisões entre os aliados.

Esta reunião, a 11.ª, marca o primeiro aniversário deste grupo criado e liderado pelos Estados Unidos, e que integra atualmente cerca de 50 países.

Na véspera do encontro, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, que também vai marcar presença em Ramstein, fez a sua primeira visita a Kiev desde o início da guerra, desencadeada pela ofensiva militar russa em fevereiro de 2022.

Na reunião que Stoltenberg manteve quinta-feira em Kiev com o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, o fornecimento de armas de longo alcance dominou parte da conversa e o líder da Aliança Atlântica prometeu cuidar do assunto na reunião desta sexta-feira em Ramstein.

Portugal – país que integra o Grupo de Contacto desde a sua constituição em abril de 2022 - está representado na reunião pela ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras.

Continue a ler esta notícia

Relacionados