O Estado timorense gastou por dia mais de 57 mil dólares (53 mil euros) em combustível e manutenção da sua frota de veículos entre 2000 e 2020, segundo dados divulgados esta quinta-feira.

Segundo dados do Ministério das Finanças de Timor-Leste, o país gastou mais de 257 milhões de dólares (239 milhões de euros) nestas despesas nesse período.

Anualmente, o Estado gasta 14,3 milhões de dólares (13,3 milhões de euros) só em combustível e manutenção, tendo mais de 125 milhões de dólares (116 milhões de euros) sido gastos entre 2002 e 2020 na compra de 3.415 viaturas para o Estado.

Os dados foram divulgados pelo ministro das Finanças, Rui Gomes, num encontro que marcou o lançamento de um novo leilão de 615 viaturas do Estado, dando continuidade a um processo que ente 2018 e 2021 permitiu ao Estado arrecadar 1,75 milhões de dólares (1,62 milhões de euros).

“Estes leilões, conduzidos pela Direção Geral de Gestão do Património do Estado, pretendem salvaguardar as condições dos bens móveis do Estado e arrecadar receitas para ajudar a financiar outros programas e atividades”, explicou Rui Gomes.

O governante disse que a política adotada pelo Governo desde 2018, com maior controlo ao movimento e uso de viaturas do Estado e um novo decreto-lei sobre subsídio de transporte, tem permitido poupanças neste setor.

“Em resultado desta nova política, foi possível em 2022 conseguir uma poupança de dois milhões de dólares [1,86 milhões de euros] em combustível e manutenção de veículos, contribuindo também para redução da poluição e do congestionamento de trânsito”, referiu.

/ AM