PNSN #T2E1, “Quem está a lucrar no mercado imobiliário” – fontes de informação - TVI

PNSN #T2E1, “Quem está a lucrar no mercado imobiliário” – fontes de informação

Conheça as fontes de informação consultadas no episódio de 19 de setembro de 2023 de “As Pessoas Não São Números”.

Fontes de informação usada

Arrendamento de Estúdio T0 de 14m2 em Alcântara, Lisboa, por 3.360 €. Fonte: Idealista

Em 2022 venderam-se 167 900 casas em Portugal, um máximo histórico. Fonte: INE

Preços dos alojamentos vendidos aumentaram 92% entre 2015 e 2022. Fonte: evolução das vendas de alojamentos (quantidades e preços), INE

Constrói-se menos e constrói-se mais caro. Estatísticas de construção, Fonte: Pordata e INE

Há cerca de 50 mil empresas de atividades imobiliárias em Portugal, que lucraram 2,5 mil milhões de euros em 2021. Fonte: Administração Fiscal, Receitas de IRC

Quase 1,4 milhões de famílias devem quase 100 mil milhões de euros em crédito à habitação. Fonte: Banco de Portugal

Evolução das taxas Euribor. Fonte oficial aqui  

Taxa de juro dos novos créditos à habitação sobe para 4,331%. Fonte: INE

Estado encaixa 1,76 mil milhões em IMT em 2022. Fonte: Autoridade Tributária, Estatísticas de impostos sobre o património.

Receitas de IMT de Lisboa, Cascais, Porto e Loulé quase quadruplicaram em dez anos. Fonte: Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2021, edição da Ordem dos Contabilistas Certificados, novembro de 2022.

Bancos lucram 11 milhões por dia. Fonte: “Lucros recorde e faturação de 4,2 mil milhões com juros: eis o primeiro semestre na banca”, Eco

Saem 70 pessoas de Lisboa e Porto por dia. Base: “Em três anos, quase 76 mil pessoas saíram de Lisboa e do Porto”, notícia Expresso a partir dos Censos 2021, INE.

Aumentos dos preços das casas desaceleram em agosto: fonte Confidencial Imobiliário

Simulador de crédito à habitação do Banco de Portugal

 

Ficha técnica do episódio

Autoria: Pedro Santos Guerreiro, António Prata e Vitor Costa

Imagem: Nuno Assunção

Edição: Pedro Guedes

Canções no episódio:
Liberdade”, Sérgio Godinho, do álbum “À Queima Roupa” (1974), Guilda da Música
Não Sei o Que é Que Fica”, A Garota Não e Chullage, do álbum “2 de Abril” (2022), Ed. Autor

Arte pública:
Portugal a Banhos”, Joana Vasconcelos, 2010, propriedade da Administração do Porto de Lisboa

Arquivo vídeo:
3 de junho de 2021, declarações de António Costa em Braga, numa sessão de apresentação de moção de candidatura a secretário-geral do PS, prometendo habitação condigna para todos até 2024.

1 de abril de 2023, imagens de manifestações pelo direito à habitação e uma “casa digna para todas as pessoas” que decorreram em seis cidades (Aveiro, Braga, Coimbra, Lisboa, Porto e Viseu). As manifestações “Casa Para Viver” foram integradas na ação europeia pelo direito à habitação Housing Action Days 2023/ Dias de Ação pela Habitação 2023, coordenada pela European Action Coalition for the Right to Housing and the City. Em Portugal, a manifestação  agregou perto de cem associações subscritoras, algumas dedicadas à questão habitação, como a Associação de Inquilinos Lisbonenses, a Habita! ou a Stop Despejos, outras cívicas, ecologistas e ambientais, feministas e de pessoas LGBTQIA+, antirracistas e de migrantes, anticapitalistas e por direitos laborais, incluindo o Sindicato dos Professores da Grande Lisboa, o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Solidariedade e Segurança Social e os Precários Inflexíveis.

Continue a ler esta notícia