Fingiu ser filho de um general africano e tentou enganar empresárias com uma mala cheia de dinheiro - foi detido pela PJ - TVI

Fingiu ser filho de um general africano e tentou enganar empresárias com uma mala cheia de dinheiro - foi detido pela PJ

  • Agência Lusa
  • MSM
  • 24 nov 2023, 14:49
Polícia Judiciária

O homem usou a burla conhecida como "euros negros ou marcados"

Relacionados

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um cidadão estrangeiro por uma alegada tentativa de burla conhecida como “euros negros ou marcados”, através de um suposto investimento numa quinta em Alenquer, anunciou esta sexta-feira a força de segurança.

De acordo com a PJ, que atuou através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, o suspeito de 38 anos apresentou-se às duas proprietárias da quinta como o filho de um general africano e expressou interesse em comprar a propriedade, oferecendo um pagamento em dinheiro de 2,5 milhões de euros.

“Adiantou que faria o pagamento em numerário, uma vez que aguardava a chegada de um diplomata que lhe traria uma quantia que se cifrava em 4,8 milhões de euros, pretendendo aplicá-la toda na concretização de negócios imobiliários em Portugal. Alegou que as notas vinham marcadas com um sinal para evitar que o transportador, mesmo sendo um diplomata, caísse na tentação de furtar a mala”, pode ler-se no comunicado.

A Judiciária acrescentou que as notas em causa “possuíam uma marca que necessitava de ser retirada com uma solução química própria”, com esse processo a custar 300 mil euros, verba que pediu às duas empresárias.

Nesse sentido, reuniu-se em hotéis de cinco estrelas em Lisboa (nos quais estava registado com identidades falsas) e, exibindo uma mala com muitos maços de supostas notas de euros, prometeu reembolsar o dinheiro com um acréscimo de 15%, um negócio que as duas visadas rejeitaram, alertando então as autoridades.

“Além da detenção do suspeito, que atuava com nomes e documentos falsos, a Polícia Judiciária realizou também buscas domiciliárias e não domiciliárias, tendo apreendido um abundante e relevantíssimo acervo probatório da prática deste tipo de crimes”, sublinhou o órgão de polícia criminal, que aponta fortes indícios de burla qualificada, na forma tentada, e de falsificação de documentos agravada.

O detido já foi presente a interrogatório judicial, aguardando a aplicação de medidas de coação.

Continue a ler esta notícia

Relacionados