Rio Ave-Famalicão, 2-2 (destaques) - TVI

Rio Ave-Famalicão, 2-2 (destaques)

  • Vítor Maia
  • Estádio do Rio Ave, Vila do Conde
  • 26 mai 2023, 21:22

Boateng e Ruiz estragam a noite a Dobre

Relacionados

Figura: Alex Dobre

O romeno provou (como se ainda fosse preciso) que é um jogador de qualidade. Rapidíssimo, o extremo esteve em grande nível, especialmente na etapa inicial do encontro. Dobre assistiu Rúben Lima para o 1-0, depois de driblar Aderllan, e assinou o 2-0 com um cabeceamento fácil. Com a expulsão de Zaydou, sacrificou-se pela equipa e ocupou o coredor direito quando Penetra fechou mais por dentro junto de Riccieli e Otávio. Mesmo assim, Dobre ainda esteve perto do bis à passagem da hora de jogo em mais uma grande arranca. Que belo jogo! 

Momento do jogo: cabeça para o empate, minuto 82

O Famalicão apanhou-se a ganhar cedo com golos de Rúben Lima e Dobre. No entanto, a expulsão de Zaydou complicou um jogo que parecia fácil para os minhotos. Com dez elementos, os famalicenses sentiram dificuldades com o decorrer da partida e acabaram por sofrer o empate a oito minutos do fim. Na sequência de um canto curto, Guga cruzou e Ruiz subiu mais alto que a concorrência e cabeceou para o 2-2 final.


Outros destaques:

Rúben Lima: a primeira parte do defesa fez lembrar a versão apresentada no Moreirense. Rúben Lima teve pulmão para auxiliar o ataque e numa dessas ocasiões marou de cabeça, qual avançado. O lateral-esquerdo esteve irrepreensível a defender, sobretudo na primeira metade. O cotre a impedir a finalização de Ruiz, quando o Rio Ave já tinha feito o 2-1, é sintomático da excelente prestação de Rúben Lima nos Arcos.

Boateng: o avançado entrou ao intervalo e teve o mérito de despertar o ataque vila-condense. O ganês colocou em sentido a defesa do Famalicão e marcou o golo que deu início à recuperação do Rio Ave. Realizou 45 minutos de bom nível.

Leonardo Ruiz: uma, duas, três, quatro, enfim, não faltaram ocasiões ao colombiano para marcar. Quem pensava que esta não seria a noite do avançado, enganou-se. Provavelmente na finalização mais difícil que teve de executar, Ruiz saltou mais alto que toda a gente e assinou um belo golpe de cabeça que resultou no empate vila-condense. Foi o rosto da resistência do Rio Ave e ninguém merecia mais o golo que ele.

Continue a ler esta notícia

Relacionados