O próximo Presidente do Brasil, Lula da Silva, irá a Portugal em visita de Estado e para uma cimeira luso-brasileira entre 22 e 25 de Abril, anunciou esta sexta-feira o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas num hotel de Brasília, onde chegou hoje para representar o Estado português na posse de Lula da Silva como Presidente do Brasil, que será no domingo, 1 de janeiro de 2023.

"Foi marcado já o que vai ser o encontro em Portugal, de 22 a 25 de Abril, com a cimeira entre o Presidente Lula e o primeiro-ministro português e a visita de Estado, a meu convite, que culmina na participação na cerimónia do 25 de Abril", declarou.

O Presidente português acrescentou que nessa ocasião deverá também ser feita "finalmente a entrega" do Prémio Camões "há muito tempo para ser entregue a três premiados ao longo dos últimos anos", um dos quais é o cantor brasileiro Chico Buarque.

Enquanto Presidente eleito do Brasil, Lula da Silva já passou por Portugal, entre 18 e 19 de novembro, depois de ter participado na 27.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP27), no Egito. Nessa ocasião, foi recebido pelo chefe de Estado português e pelo primeiro-ministro, António Costa, em Lisboa.

Na segunda-feira, dia seguinte a tomar posse, Lula da Silva irá receber o chefe de Estado português, em Brasília, num encontro que incluirá delegações dos dois países.

Quando visitou o Brasil em julho deste ano e em 2021, o Presidente português reuniu-se com Lula da Silva em São Paulo e com outros antigos presidentes do Brasil.

Luiz Inácio Lula da Silva, que já cumpriu dois mandatos como Presidente do Brasil, entre 2003 e 2011, foi novamente eleito em 30 de outubro, na segunda volta da eleição presidencial brasileira, com 50,9% dos votos, derrotando o chefe de Estado brasileiro em exercício, Jair Bolsonaro.

Nessa noite, logo depois de o Supremo Tribunal Eleitoral do Brasil dar eleição como matematicamente definida, o chefe de Estado português felicitou Lula da Silva e manifestou-se certo de que o seu mandato "corresponderá a um período promissor nas relações fraternais" com Portugal.

Marcelo Rebelo de Sousa fez saber em setembro, quando decorria a campanha eleitoral, que tencionava estar presente na posse do próximo Presidente do Brasil.

/ DCT