Operação Pretoriano: PSP apreende milhares de euros, droga, arma de fogo, documentos e viaturas de gama alta durante megaoperação à claque do FC Porto - TVI

Operação Pretoriano: PSP apreende milhares de euros, droga, arma de fogo, documentos e viaturas de gama alta durante megaoperação à claque do FC Porto

Primeiro foi o Porsche, depois o BMW. Autoridades apreendem carros do líder dos Super-Dragões

Buscas contaram com o apoio operacional da Unidade Especial de Polícia e demais valências policiais

Relacionados

A PSP confirmou, esta quarta-feira, através de comunicado a que a CNN Portugal teve acesso, que efetou 12 detenções no âmbito da operação Pretoriano - entre eles Fernando MadureiraVítor Catão e Fernando Saul - na sequência dos factos ocorridos no dia 13 de novembro de 2023, aquando da realização da Assembleia Geral Extraordinária do Futebol Clube do Porto.

Segundo aquela força de segurança, foram apreendidos "vários milhares de euros, três veículos automóveis, uma arma de fogo, mais de uma centena de ingressos para eventos desportivos, artefactos pirotécnicos, estupefacientes vários (nomeadamente cocaína e haxixe)" e ainda equipamentos eletrónicos e demais documentos "de interesse para a investigação em causa".

As 12 detenções - de 11 homens e uma mulher - foram feitas "no âmbito do combate aos crimes de ofensas à integridade física qualificadas, coação agravada, ameaça agravada, instigação pública à prática de crime, atentado à liberdade de informação". 

Sandra Madureira, mulher do líder dos Super Dragões, é a única mulher detida nesta operação e acompanhou as buscas feitas pela PSP na casa em Vila Nova de Gaia, tendo sido levada para a Divisão de Investigação Criminal da PSP do Porto ao fim da manhã de quarta-feira. 

Durante a manhã desta quarta-feira, a PSP deu então cumprimento a 11 buscas na zona do Porto a casas de elementos dos Super Dragões, entre eles Fernando Madureira, líder da claque do FC Porto, de forma a "devolver às instituições e aos cidadãos a sua liberdade de decisão". As buscas contaram com "o apoio da Unidade Especial de Polícia e demais valências policiais".

Os detidos serão presentes a juiz na quinta-feira para aplicação das medidas de coação adequadas. 

A Assembleia-Geral Extraordinária do FC Porto de dia 13 de novembro, com vista à deliberação sobre a aprovação dos novos estatutos propostos pelo Conselho Superior, foi marcada por longas filas, falta de organização e cenas de violência. A reunião estava agendada para as 21:00, mas perante a presença de milhares de adeptos, entre os quais André Villas-Boas, ex-treinador portista e candidato às eleições do clube, passou do auditório no estádio para o Dragão Arena, o que motivou uma interrupção de 45 minutos.

Depois, assistiram-se a cenas de violência dentro do Dragão Arena e perante um clima de intimidação, muitos associados abandonaram o local. Mas a AG só foi suspensa quando um sócio foi agredido e retirado do local após ter usado a palavra. Por fim, a reunião magna foi cancelada e adiada para dia 20 de novembro.

Os Super Dragões, principal claque de apoio ao Futebol Clube do Porto, chegaram a ter espaço físico no Estádio do Dragão.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

EM DESTAQUE