As votações para a eleição do novo bastonário da Ordem dos Médicos terminaram esta quinta-feira, e os resultados provisórios apontam Carlos Cortes e Rui Nunes como os candidatos mais votados. Estes dois nomes vão disputar a segunda volta eleitoral, cujo processo decorre entre 7 e 16 de fevereiro. 

De acordo com um comunicado divulgado pela Ordem dos Médicos, foram estes os resultados da primeira volta:

  • Alexandre Valentim Lourenço - 2.840 votos
  • Bruno Maia - 3.360 votos
  • Carlos Cortes - 6.059 votos
  • Fausto Pinto - 2.009 votos
  • Jaime Branco - 2.318 votos
  • Rui Nunes - 4.045 

O processo de votação eletrónica contou com o voto de 23.634 médicos e com a abstenção de 37.499 (ou seja, 61.34% dos eleitores inscritos). 

O vencedor destas eleições para bastonário vai substituir o médico urologista Miguel Guimarães, que termina agora o segundo mandato.

Segundo os resultados provisórios, para o Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos, a lista A, que tem o médico Eurico Castro Alves candidato a presidente, recebeu 5.276 votos, enquanto a lista M (Miguel Leão candidato a presidente) obteve 3.106 votos.

Já para o Conselho Regional do Centro da OM, a lista A (Manuel Teixeira Veríssimo candidato a presidente) obteve 2.942 votos.

Quanto ao Conselho Regional do Sul, a lista A (Paulo Simões candidato a presidente) recolheu 3.808 votos, seguindo-se a lista B (Mário Jorge Neves) com 2.083 votos e a lista D (Carla Araújo) com 1.073 votos.

Quem são os dois médicos que vão à segunda volta?

Rui Nunes tem 62 anos, é natural do Porto e especialista em Otorrinolaringologia. É professor catedrático na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e foi o primeiro doutorado em Bioética em Portugal. Em 2002 obteve o título de agregado em Sociologia Médica e, sete anos depois, o título de agregado em Bioética. Em 2022 foi eleito Presidente da Associação Portuguesa de Bioética.

Foi ainda o pioneiro em Portugal na colocação cirúrgica do implante de ouvido médio e o foi o primeiro presidente da Entidade Reguladora da Saúde (ERS). É membro da Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia da Cabeça e Pescoço. Publicou 29 livros sobre temas relacionados com a bioética, a saúde, a cultura e a sociedade.

Carlos Diogo Cortes é natural de Lisboa e residente em Coimbra. Tem 53 anos e é especialista em Patologia Clínica e tem ainda a subespecialidade em Microbiologia Médica desde 2020. É diretor do serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar do Médio Tejo e, desde 2014, assume a função de presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos e presidente do Colégio da Subespecialidade de Microbiologia Médica.

Durante a pandemia, fez parte da Comissão de Avaliação e Acompanhamento do Plano de Expansão da Capacidade Laboratorial Nacional para diagnóstico de SARS-CoV-2.

CNN Portugal / CF - com Lusa