Autoridades monitorizam caso de 'legionella' em balneários de pavilhão de escola em Aljezur - TVI

Autoridades monitorizam caso de 'legionella' em balneários de pavilhão de escola em Aljezur

  • Agência Lusa
  • MM
  • 27 nov 2023, 14:33
Será a água que bebemos segura?

A presença da bactéria “foi detetada há cerca de 16 dias” na Escola Básica Professora Piedade Matoso, na sequência das análises efetuadas no âmbito do plano local de vigilância

A Autoridade de Saúde Regional (ASR) do Algarve está a monitorizar a presença da bactéria ‘legionella’ nos chuveiros dos balneários do pavilhão desportivo de uma escola em Aljezur, disse esta segunda-feira à Lusa fonte daquela entidade.

Numa nota enviada à Lusa, a ASR indica que a presença da bactéria “foi detetada há cerca de 16 dias” na Escola Básica Professora Piedade Matoso, na sequência das análises efetuadas no âmbito do plano local de vigilância da ‘legionella’ da Unidade de Saúde Pública.

“Tendo em consideração a presença deste microrganismo nas análises efetuadas, decidiu-se pelo encerramento do equipamento e foi aconselhada às entidades gestoras [da escola] a sua limpeza e desinfeção”, lê-se na nota.

De acordo com a entidade de saúde pública do distrito de Faro, “não há registo, nem se esperam que surjam casos da doença dos legionários” na comunidade em consequência desta contaminação.

A ASR adianta que está a “acompanhar e monitorizar esta situação desde o início”, aguardando pela confirmação da realização da limpeza e desinfeção dos equipamentos “para realizar novas análises”.

Por seu turno, o diretor do Agrupamento de Escolas Professora Piedade Matoso, Paulo Esteves, numa nota publicada no portal do agrupamento esclarece que “foi vedado o acesso à zona dos chuveiros de ambos os balneários” do pavilhão gimnodesportivo por indicação do delegado de saúde local.

O documento adianta que a “medida manter-se-á em vigor até estarem concluídas as intervenções, que incluem procedimentos de descontaminação e de reparação das caldeiras, para correção da situação detetada”.

Segundo o responsável, a deteção da presença de unidades formadoras de colónias de ‘Legionella Pneumophila’ “circunscreve-se aos chuveiros, não havendo qualquer perigo relacionado com outros pontos de água no recinto escolar, incluindo os lavatórios dos balneários”.

Continue a ler esta notícia