Casos de infeção por legionella em Caminha passam a oito - TVI

Casos de infeção por legionella em Caminha passam a oito

  • Agência Lusa
  • AM - notícia atualizada às 12:20 com o número de casos
  • 15 nov 2023, 10:19
Legionella (LUSA)

Do total de doentes identificados, cinco estão internados no hospital de Santa Luzia

Relacionados

Um total de oito pessoas do concelho de Caminha estão infetadas com legionella, sendo que o último caso foi detetado na noite de terça-feira, disse fonte da Saúde Pública.

Contactada pela agência Lusa, a fonte da Unidade de Saúde Pública do Alto Minho referiu que os dois últimos doentes a serem identificados na terça-feira, de 74 e os 96 anos, encontravam-se hoje, cerca das 11:34, ainda serem avaliados no serviço de urgência do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

Os dois homens residem em Moledo, no concelho de Caminha.

A mesma fonte adiantou que os doentes com legionella identificados desde sexta-feira residem entre Caminha e Vila Praia de Âncora.

A fonte da Saúde Pública acrescentou que do total de doentes identificados, cinco estão internados no hospital de Santa Luzia: uma senhora de 60 anos nos cuidados intensivos e quatro nos cuidados intermédios.

Um dos oito doentes, um homem de 86 anos, acamado, já recebeu alta, na segunda-feira, do hospital de São João, no Porto.

As autoridades continuam a investigar a origem da infeção.

Na terça-feira, em declarações aos jornalistas, o delegado de saúde do Alto Minho, Luís Delgado, disse que a maior parte dos doentes “reside a 500/600 metros” de uma área de Vila Praia de Âncora que está a ser investigada, a par de outras zonas “suspeitas”.

“Pode ser uma zona onde exista eventualmente um ar condicionado, um fontanário ou equipamentos de irrigação que possam gerar aerossóis”, explicou.

O delegado de saúde notou que existe “uma equipa grande, de saúde ambiental e saúde pública, no terreno a identificar as situações”.

O responsável acrescentou não poder confirmar se os equipamentos municipais foram já descartados como estando na origem da contaminação.

“Há várias suspeitas em Vila Praia de Âncora”, freguesia do concelho de Caminha, no distrito de Viana do Castelo, disse.

Quanto aos sintomas da infeção, o delegado de saúde explicou que “é como se fosse uma gripe, com febre, dores de cabeça, tosse ou falta de ar”.

“A diferença é que, neste caso, a infeção não é provocada por um vírus, mas por uma bactéria”, acrescentou.

Idosos de Vila Praia de Âncora devem ficar em casa

O delegado de Saúde do Alto Minho recomendou que idosos de Vila Praia de Âncora se “resguardem”, recusando motivos para alarme.

“Há um surto em Vila Praia de Âncora. As crianças não são a população alvo da patologia. Mas estamos a recomendar que pessoas com mais idade, e com comorbilidades, se resguardem. Pessoas com mais idade e comorbilidades de Vila Praia de Âncora devem ficar em casa”, disse o delegado de Saúde, Luís Delgado, em conferência de imprensa conjunta com o presidente da Câmara de Caminha.

O responsável explicou que há uma “diluição das suspeitas” relativamente ao foco da infeção, mas disse que a “investigação ambiental” se concentra em Vila Praia de Âncora, freguesia do concelho de Caminha, distrito de Viana do Castelo, embora tenham sido identificados doentes residentes nas freguesias de Vilarelho (uma pessoa) e Moledo (duas pessoas), no mesmo concelho.

A doença do legionário, provocada pela bactéria 'Legionella pneumophila', contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

Continue a ler esta notícia

Relacionados