Os portugueses compraram mais carros em 2022. No último ano, foram registados 185.291 veículos, mais 2,8% do que em 2021, segundo os números divulgados nesta segunda-feira pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP). A Peugeot foi a marca mais vendida em Portugal.

A melhoria das vendas deveu-se sobretudo ao aumento de 6,6% no comércio dos carros ligeiros de passageiros, ara 156.250 unidades. A Peugeot voltou a liderar o mercado, com 16.828 matrículas, apesar da descida de 4,4% face a 2021. A Renault manteve o segundo lugar, com 12.841 registos, apesar da perda de 16,8% nas vendas. Isto fez com que a Mercedes, em terceiro, se aproximasse ainda mais do lugar intermédio do pódio: a marca de Estugarda cresceu 5,9%, para 12.055 unidades.

Entre as 10 marcas mais vendidas, nota para a Dacia, que saltou para o quarto lugar. A marca nascida na Roménia e que faz parte do grupo Renault cresceu 74,4%, para 10.157 unidades.

Em direção contrária, as vendas de carros ligeiros de mercadorias baixaram 18,2%, para 23.541 unidades. Também venderam-se menos 4% de camiões em 2022 face a 2021, para 4.095 matrículas. A renovação das frotas levou o comércio de autocarros (pesados de passageiros) a mais do que duplicar as vendas (+139,8%) para 1.405 unidades.

Carros de luxo quase duplicam

Os efeitos da inflação parecem ter passado longe das marcas que só costumam vender carros que custam mais de 100 mil euros. Aston Martin, Bentley, Ferrari, Maserati e Lamborghini venderam um total de 228 unidades, praticamente o dobro das 121 matrículas de 2021.

O maior crescimento foi da Maserati, que mais do que triplicou o número de matrículas, de 25 para 82. Em forte aceleração também esteve a Bentley, que duplicou das 26 para as 63 matrículas. Na Aston Martin, a evolução foi de 34 para 40 carros; na Ferrari, em vez de 23 houve 29 vendas; a Lamborghini registou 14 unidades, mais uma do que em 2021.

ECO - Parceiro CNN Portugal / Diogo Ferreira Nunes