O presidente do PS convocou para dia 14, em Coimbra, uma reunião da Comissão Nacional, a primeira desde que o executivo foi atingido por casos internos que já forçaram o primeiro-ministro a duas remodelações no Governo.

Assinada por Carlos César, a convocatória para esta Comissão Nacional do PS, à qual a agência Lusa teve acesso, especifica que a intervenção inicial a cargo do secretário-geral, António Costa, sobre a análise da situação política, será aberta aos órgãos de comunicação social.

O segundo ponto da reunião é relativo às comemorações dos 50 anos da fundação do PS, que se assinalam em abril próximo e cujo programa é coordenador pelo dirigente socialista José Manuel dos Santos.

A reunião do órgão máximo do PS será a primeira desde que o Governo socialista foi atingido pelos casos que envolveram primeiro o ex-secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Miguel Alves, e mais recentemente a ex-secretária de Estado do Tesouro, Alexandra Reis.

Estes dois casos motivaram as demissões dos dois membros diretamente envolvidos, Miguel Alves, ex-presidente da Câmara de Caminha, e Alexandra Reis, gestora de carreira.

Mas a situação de Alexandra Reis, que recebeu da TAP uma indemnização de meio milhão de euros para sair da administração da empresa, acabou também por provocar a queda do ex-secretário de Estado das Infraestruturas, Hugo Santos Mendes, e do seu ministro Pedro Nuno Santos.

A saída de Pedro Nuno Santos do Governo é considerada uma “baixa política” relevante para o Governo e para o PS, já que este antigo líder da JS e da Federação de Aveiro dos socialistas é apontado como um dos potenciais sucessores de António Costa na liderança do PS.

/ MJC