Um grupo de cientistas conseguiu direcionar raios com lasers pela primeira vez, de acordo com uma demonstração realizada durante fortes tempestades no topo de uma montanha suíça.

Na revista Nature Photonics, Aurélien Houard, físico da École Polytechnique, em Palaiseau, descreve como a sua equipa carregou um poderoso laser até o topo da montanha Säntis, no nordeste da Suíça, e o colocou perto de uma torre de telecomunicações de 124 metros de altura que é atingida por um raio cerca de 100 vezes por ano. Os cientistas esperaram que as tempestades se formassem e, entre julho e setembro do ano passado, dispararam pulsos rápidos de laser em nuvens de tempestade por um total de mais de seis horas.

Instrumentos configurados para registrar relâmpagos mostraram que o laser desviou o curso de quatro descargas atmosféricas ao longo da experiência. O laser desvia os raios criando um canal que dura milissegundos, mais condutor de eletricidade do que o ar circundante e, portanto, formando um caminho mais fácil para a descarga elétrica fluir para baixo.

Apenas uma queda, em 21 de julho, aconteceu em condições claras o suficiente para que os investigadores filmassem o caminho do raio em duas direções usando câmaras de alta velocidade a vários quilómetros de distância. A gravação mostra que o raio seguiu o caminho do laser por cerca de 50 metros, sugerindo que os pulsos ajudaram a direcionar a descarga.

Segundo o Guardian, a experiência abre caminho para sistemas de proteção contra raios baseados em laser e que podem ser usados em aeroportos, plataformas de lançamento e edifícios altos.

“As hastes de metal são usadas em quase todos os lugares para proteger contra raios, mas a área que elas podem proteger é limitada a alguns metros ou dezenas de metros”, disse Aurélien Houard. “A nossa esperança é estender essa proteção para algumas centenas de metros se tivermos energia suficiente no laser.”

“O custo do sistema a laser é muito alto em comparação com o de uma haste simples”, diz Manu Haddad, diretor do Morgan-Botti Lightning Laboratory da Universidade de Cardiff, citado pelo Guardian. “No entanto, os lasers podem ser uma maneira mais segura de direcionar a descarga do raio e isso pode ser importante para a proteção contra raios de instalações e equipamentos de solo críticos.”

Os relâmpagos são descargas elétricas enormes que normalmente atingem mais de três a cinco quilómetros. Mais de mil milhões de raios atingem a Terra a cada ano, causando milhares de mortes e feridos, assim como elevados danos materiais.

CNN Portugal / MJC