Justiça russa rejeita recurso de Navalny e envia-o para cadeia de alta segurança - TVI

Justiça russa rejeita recurso de Navalny e envia-o para cadeia de alta segurança

  • Agência Lusa
  • MJC
  • 26 set, 17:47
Alexei Navalny

Navalny terá de cumprir a nova pena numa das prisões russas de regime especial, estabelecimentos do sistema prisional russo geralmente reservados para presos perpétuos e para os criminosos mais perigosos

Relacionados

A justiça russa rejeitou esta terça-feira o recurso do opositor Alexei Navalny contra a sua condenação a 19 anos de prisão por extremismo, um veredicto que deverá enviá-lo para uma cadeia com condições ainda mais duras. O tribunal de recurso, alegou o juiz Viktor Rogov, decidiu “deixar inalterada a decisão do Sr. Navalny em primeira instância”.

O principal crítico do Kremlin compareceu no início de hoje em tribunal através de videoconferência a partir da prisão.

Navalny, que já estava preso por acusações de fraude antes desta nova condenação, considera que estes julgamentos são uma vingança política pela sua luta contra o Presidente russo, Vladimir Putin, e contra a corrupção das elites, bem como pelas suas críticas à invasão da Ucrânia.

O ativista, de 47 anos, tinha poucas esperanças sobre o resultado deste recurso, acreditando que a sua permanência na prisão será “medida pela duração da sua vida ou pela duração deste regime”. Detido na colónia penal IK-6 em Melekhovo, 250 quilómetros a leste de Moscovo, onde é regularmente enviado para uma cela disciplinar, Navalny deverá ver as suas condições de detenção piorarem, com esta decisão judicial.

Navalny terá de cumprir a nova pena numa das prisões russas de regime especial, estabelecimentos do sistema prisional russo geralmente reservados para presos perpétuos e para os criminosos mais perigosos.

Após o anúncio da rejeição do recurso, uma das suas advogadas, Olga Mikhailova, lamentou que o seu cliente “possa ser enviado a qualquer momento” para um destes estabelecimentos, uma vez registada a decisão nos tribunais.

Desde a sua detenção em janeiro de 2021, Navalny comunica principalmente através de mensagens enviadas aos seus advogados, continuando a denunciar com humor a política do Kremlin e a ofensiva na Ucrânia.

Em agosto, Navalny pediu aos russos para resistirem ao “bando de traidores, ladrões e canalhas que tomaram o poder”.

Numa colónia com um regime especial, contudo, as suas mensagens serão provavelmente mais raras, com as visitas muito mais limitadas.

Existem cerca de 40 prisões deste tipo na Rússia, muitas vezes localizadas em locais muito remotos e sob uma administração que viu poucas reformas desde o Gulag soviético, segundo ativistas dos direitos humanos.

Entretanto, a saúde do ativista deteriorou-se ainda mais nos últimos meses, durante os quais passou vários períodos em confinamento solitário.

Continue a ler esta notícia

Relacionados