Greta Thunberg voltou a ser detida durante um protesto a favor do clima. Desta vez foi em Oslo, capital da Noruega, onde a ativista estava com outros ativistas locais que exigem a remoção de turbinas eólicas de um local de pastagem para renas.

Esta é a mais recente ação de protesto do grupo, que nos últimos dias tem bloqueado o acesso a vários edifícios governamentais.

A ativista sueca e os restantes membros do grupo colocaram-se em frente ao Ministério das Finanças, sendo depois levados por agentes da polícia.

O Supremo Tribunal da Noruega decidiu em 2021 que duas propriedades com turbinas eólicas localizadas no centro do país violam os direitos dos lapões, povo que vive no local. Ainda assim, e apesar de os juízes terem referido que a situação viola as convenções internacionais, as turbinas continuam a funcionar mais de 16 meses depois.

Greta Thunberg foi detida em janeiro, juntamente com outros ativistas climáticos, durante protestos contra a demolição da vila de Luetzerath, na Alemanha. A manifestação decorreu durante vários dias na mina a céu aberto de Garzweiler, a cerca de nove quilómetros de Luetzerath.

António Guimarães