A Vodafone Portugal vai atualizar os preços dos produtos e serviços a partir de 1 de março de 2023, confirma a empresa numa nota publicada no respetivo site. A operadora prevê “um aumento máximo de 7,8% no valor global da fatura”, uma percentagem equivalente à da taxa de variação média anual da inflação em 2022, como confirmado este mês pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Já os clientes da Meo e da Nos terão aumentos logo a partir de 1 de fevereiro.

“A Vodafone Portugal irá atualizar o preço dos serviços de telecomunicações prestados aos seus clientes a partir de 1 de março de 2023, com um aumento máximo de 7,8% no valor global da fatura, conforme os serviços subscritos e de acordo com os termos e condições previstos no respetivo contrato. A atualização foi calculada com referência à taxa de inflação”, explica a empresa de telecomunicações, dando conta de que a informação mais detalhada sobre os novos preços ficará “disponível a partir” de 30 de janeiro.

A operadora liderada por Mário Vaz era a única das três principais em Portugal que ainda não tinha dado qualquer informação sobre a política de preços para este ano. Em outubro de 2022, a presidente da Altice Portugal, Ana Figueiredo, anunciou que os preços da Meo serão atualizados à inflação a 1 de fevereiro e o ECO sabe que as alterações estão agora a ser comunicadas aos clientes, tendo por referência a taxa de 7,8% (que fica acima dos 7,2% referidos pela própria Altice em outubro, a mesma que era esperada pelo Governo). Também a Nos disponibilizou recentemente uma nota no respetivo site a dar conta de “novos preços” a partir de 1 de fevereiro, sem avançar qualquer percentagem.

“Serão atualizados os valores das mensalidades dos produtos e serviços da Vodafone, bem como a generalidade das tarifas de serviço. Os novos preços entrarão em vigor a 1 de março de 2023 e poderá consultar a atualização específica sobre os seus produtos e serviços através do TOBi aqui ou ligue grátis 12 710, a partir de 30 de janeiro de 2023″, explica a Vodafone na informação disponibilizada na internet. O aumento “será refletido no valor final do seu serviço à data da alteração de preços, bem como em alguns serviços extra que tenha subscrito”, refere também a empresa.

Estas informações confirmam, assim, uma notícia avançada em agosto de 2022: com os custos a aumentarem, era certo que os preços das telecomunicações iriam subir em 2023, uma opção prevista na maioria dos contratos. Mesmo assim, a Meo só confirmaria a subida meses depois, em outubro, em declarações à agência Lusa, enquanto a Nos e a Vodafone nunca confirmaram à imprensa os aumentos de preços até à disponibilização das informações online — nem mesmo após as sucessivas questões enviadas pelo ECO, um sinal da sensibilidade do tema dos preços no setor das telecomunicações em Portugal.

“O setor das telecomunicações tem sido fortemente afetado pelo atual contexto macroeconómico e geopolítico, do qual resultaram aumentos significativos nos preços da energia e das matérias-primas. Este facto, associado à subida da taxa de inflação, resulta em aumentos expressivos nos custos operacionais e de manutenção e gestão da rede de suporte à prestação dos nossos serviços”, contextualiza a Vodafone.

No caso da Altice, a presidente da empresa disse em outubro que os preços irão subir em fevereiro à taxa da inflação. Com base na taxa prevista na altura — de 7,2%, em vez dos atuais 7,8% que estão a ser comunicados aos clientes –, a líder da Meo previa que um pacote “TV+Net+Voz” teria uma subida média de dois euros por mês, enquanto um cliente com pacote M4 veria a fatura subir quatro euros mensais. O ECO solicitou na segunda-feira novas simulações, mas ainda não obteve resposta.

Do lado da Nos, a que o ECO também tem colocado questões sobre este assunto, a informação que existe é a que foi disponibilizada no site da operadora em 6 de dezembro: “A Nos irá atualizar o preço dos serviços de acordo com o Índice de Preços do Consumidor anual de 2022, a publicar pelo INE em janeiro de 2023. Esta atualização incide apenas sobre as mensalidades dos serviços, mantendo-se inalteradas quaisquer outras tarifas dos serviços”, lê-se na nota informativa que refere que os preços vão entrar em vigor a 1 de fevereiro e que os detalhes serão dados a partir de dia 23 deste mês.

“O setor de comunicações tem vindo a ser pressionado por um forte agravamento dos custos, nomeadamente os de energia, de transporte, de equipamentos de rede e até dos serviços prestados pelos seus fornecedores. Na Nos temos absorvido parte substancial deste aumento generalizado de custos, ao mesmo tempo que continuamos a investir fortemente na expansão e melhoria da rede fixa e móvel, para que Portugal e em especial os clientes da Nos possam gozar de um serviço melhor, mais fiável, mais seguro, mais rápido”, referia a operadora.

ECO - Parceiro CNN Portugal / Flávio Nunes