Elon Musk aumenta preços da Starlink na Ucrânia e isso "pode mesmo ser um drama" - TVI

Elon Musk aumenta preços da Starlink na Ucrânia e isso "pode mesmo ser um drama"

  • PP
  • 30 nov 2022, 12:24
Elon Musk (Associated Press)

Milionário norte-americano ainda não explicou a que se deve esta decisão

Elon Musk vai duplicar o preço dos terminais para os novos utilizadores na Ucrânia. O novo valor passa a ser de 675 euros (700 dólares), escreve o Financial Times - o valor cobrado até agora era de 371 euros (385 dólares). Já o valor cobrado mensalmente aos consumidores sobe de 57 euros (60 dólares) para 67 euros (75 dólares). A estratégia de ataque da Rússia nos últimos meses às infraestruturas da Ucrânia está a fazer aumentar a procura dos aparelhos fabricados pela SpaceX.

Helena Ferro Gouveia, especialista em assunto internacionais, diz à TVI/CNN Portugal que a capacidade de comunicação na Ucrânia "é essencial". "A comunicação é fundamental a vários níveis, como por exemplo ao nível da perceção do que se passa no terreno mas também como uma forma resiliência dos ucranianos."

De uma coisa esta especialista não tem dúvidas: "Em tese, a ser verdade, terá um impacto grande sobre a população que já está a sofrer com a guerra". Não só porque há militares na frente de batalha a comunicar com quem ficou em casa, mas também porque há famílias separadas por todo o país. "Pode mesmo ser um drama", conclui.

O governo ucraniano também utiliza as ferramentas digitais para comunicar com o mundo, "seja através do Twitter ou do Telegram". Helena Ferro Gouveia considera prudente perceber ao certo o que se vai passar, já que o discurso entre Elon Musk e o Governo norte-americano é bastante diferente e "grande parte do custo da Starlink é financiado pelos Estados Unidos". O Financial Times pediu um comentário sobre esta decisão mas até ao momento Elon Musk não se mostrou disponível.

Os pequenos dispositivos portáteis da Starlink que estão espalhados pelas cidades conectam-se a satélites por meio de uma antena do tamanho de um livro e fornecem uma ligação à Internet crucial para militares e civis ucranianos em áreas com pouca ou nenhuma rede móvel ou cobertura de banda larga.

Ainda segundo o Financial Times, esta subida de preços aplica-se aos novos consumidores, mas ainda não é claro se também vão aumentar para o governo ucraniano.

Recorde-se que foi a pedido que Elon Musk enviou para a Ucrânia aquele que é considerado "o melhor e mais resistente serviço de Internet". O ministro ucraniano da Transição Digital pediu diretamente ao diretor-executivo da SpaceX que enviasse para o país estações Starlink, um conjunto de satélites que a SpaceX está a construir. Poucas horas depois estava disponível. O sistema, que ficou logo operacional, foi e está a ser crucial na resistência ucraniana à invasão russa.

Em outubro, Elon Musk se tinha queixado dos custos da ajuda à Ucrânia. Este facto levou a que a UE considerasse se deve ou não contribuir com financiamento para garantir que os ucranianos mantenham o acesso ao serviço vital da Starlink.

A proposta ainda está numa fase inicial e a discussão só surgiu após o magnata da tecnologia avisar que a sua agência espacial - a SpaceX - não pode continuar a pagar indefinidamente para os ucranianos terem acesso ao serviço de internet Starlink - e, segundo o site Politico, Elon Musk terá mesmo sugerido que seja o governo norte-americano a pagar a conta.

Continue a ler esta notícia