Escândalo em Itália com apostas ilegais chega aos jogadores da seleção - TVI

Escândalo em Itália com apostas ilegais chega aos jogadores da seleção

O equipamento comemorativo dos 125 anos da Federação italiana (FOTO: FIGC)

Federação afasta Tonali e Zaniolo depois de polícia ir ao estágio da seleção ouvir os jogadores, na sequência de novas denúncias

Relacionados

Começa a ganhar contornos de escândalo a mais recente investigação em redor das apostas ilícitas no futebol em Itália.  Sandro Tonali, do Newcastle, e Nicolò Zaniolo, do Aston Villa, foram afastados do estágio da seleção italiana, depois de serem acusados de fazerem apostas em plataformas ilegais.

Os dois jogadores foram ouvidos esta quinta-feira por elementos da polícia em pleno estágio da Squadra Azzurra, em Coverciano, onde a Itália está a preparar o jogo de sábado com Malta, de apuramento para o campeonato da Europa.

Trata-se da investigação do Ministério Público de Turim sobre apostas ilegais.

Esta quinta-feira surgiram novas acusações, lançadas por Fabrizio Corona, um ex-repórter fotográfico – conhecido como ‘rei dos paparazzi’ – na sua página ‘dillingernews’.

Corona decidiu, há meses, investigar o mundo do futebol. Na quarta-feira escreveu que «Fagioli não é o único na Serie A». E prometeu fazer mais revelações nas próximas semanas. Fagioli, médio da Juventus, foi o primeiro a ser acusado de fazer apostas em plataformas ilegais.

Corona disse que ia revelar o nome do «segundo jogador envolvido, que é muito mais famoso do que Fagioli e que está atualmente a jogar no estrangeiro. Não só apostou, como o fez na sua própria equipa, enquanto estava no banco».

Esta quinta-feira tudo se precipitou. Foram divulgados os nomes de Tonali e Zaniolo, que teria apostado num jogo da Roma, para a Taça de Itália, quando ainda era atleta do clube, estando no banco de suplentes.

Mais tarde, Corona fez uma publicação nas redes sociais a dizer que a polícia o tinha ido buscar a casa, para recolher o seu depoimento.

Depois das primeiras denúncias, a procuradoria de Turim e a própria Federação Italiana de Futebol iniciaram investigações sob máximo sigilo. Mas, esta tarde, foram ouvir jogadores da seleção em pleno estágio da Squadra Azzurra.

Acabaram por ser dispensados dos trabalhos da seleção orientada por Luciano Spaletti, O comunicado oficial da federação diz que «os jogadores não estarão em condições de se concentrar nos trabalhos dos próximos dias» e que os autorizou a regressar aos respetivos clubes.

Continue a ler esta notícia

Relacionados