Thuram: «Temos de lutar para que a extrema-direita francesa não passe» - TVI

Thuram: «Temos de lutar para que a extrema-direita francesa não passe»

Avançado do Inter de Milão assumiu uma posição antes das eleições em França

Relacionados

Marcus Thuram assumiu uma posição política na conferência de imprensa da seleção francesa, ao incentivar a luta contra a extrema-direita.

O Rassemblement National (RN), partido de Marine Le Pen, venceu as eleições europeias em França, o que levou Emmanuel Macron a dissolver a Assembleia da República e convocar eleições legislativas antecipadas. Perante este cenário, os jogadores franceses têm apelado ao voto, mas o avançado do Inter de Milão não teve receio em manifestar de que lado está.

«A situação é muito, muito grave. Soube disso [resultado das europeias] depois do jogo contra o Canadá. Ficámos todos um pouco chocados no balneário. Esta é a triste realidade da nossa sociedade hoje. Há mensagens transmitidas todos os dias na televisão para ajudar esta festa [a extrema-direita] a passar. Como disse o Ousmane [Dembélé], devemos dizer a todos para irem votar. Como cidadãos, sejam vocês ou eu, devemos lutar diariamente para que isto não volte a acontecer e que o RN não passe», disse o atacante, que várias vezes tem dado a cara em iniciativas antirracistas.

«Compreendo que algumas pessoas digam que temos de votar, mas não creio que seja suficiente. Devemos também dizer como chegámos aqui e a gravidade da situação. Na seleção francesa, não tenho dúvidas de que todos partilham a minha visão sobre as coisas. Estamos num país livre e todos deveriam fazer o que acham certo. Eu chego aqui e digo certas coisas. Outras pessoas podem não dizer isso, mas, repito, não tenho dúvidas de que todos pensam como eu», acrescentou.

Continue a ler esta notícia

Relacionados

Mais Vistos