Ao Minuto

Curva da Vida de Bárbara Parada: «Foi a pior fase da minha vida, mesmo»

  • 21 nov, 00:06
Curva da Vida de Bárbara Parada: «Foi a pior fase da minha vida, mesmo» - Big Brother

Hoje, ficamos a conhecer a curva da vida da concorrente Bárbara Parada. A concorrente partilhou momentos difícieis que passou na sua vida.

Neste domingo, Bárbara Parada partilhou a sua história de vida com os portugueses. Começou por contar como foi a sua infância afirmando que sempre foi uma criança bastante feliz. O voleibol é das maiores paixões da concorrente: «Foi amor à primeira vista, foi por causa do meu irmão que eu comecei a jogar vólei».

A nortenha admitiu que não tem grandes afetos com os pais mas que ama os pais na mesma: «Acho que em 21 anos, se dei 10 beijos aos meus pais, é muito». Confessou que se sentiu sempre um bocado comparada com o irmão, por ser «o preferido» da mãe.

Durante a adolescência, Bárbara Parada conheceu a sua primeira paixão. Contou que o rapaz falava com uma rapariga da sua equipa de voleibol e que falava mal do corpo da concorrente ao rapaz: «Comentava que eu era uma tábua e isto evoluiu para o Facebook. Começavam a comentar nas minhas fotos “olha a tábua, como é que x gosta de ti”»

«Eu chorava todas as noites, quando comecei a aperceber-me do que se passava, mas eu à noite rezava: “por favor, que o meu corpo comece a evoluir”». «Foi a partir daí que eu comecei, se calhar, a ligar mais à minha imagem» «Até hoje, não gosto de andar de bikini à frente das pessoas», acrescentou.

Bárbara Parada contou que, na entrada para o Secundário, seguiu as pegadas do irmão e escolheu Ciências Naturais para agradar os pais. Arrependeu-se e mudou para Turismo: «Claro que os meus pais não gostaram nada».

A nortenha confessou que, durante a pandemia, teve um desgoto com um término de uma relação que durou 3 anos: «Durante 2 meses, não saí de casa, fechei-me no quarto, engordei uns 7 quilos em duas semanas» «Foi a pior fase da minha vida, mesmo».

A concorrente, contou que desistiu do desporto que mais gostava de fazer devido à falta de profissionalismo de um treinador: «Uma das coisas que mais me custou de todas, na minha vida, foi sair do voleibol».

Por fim, recordou uma fase difícil que passou na vida, a morte do avô: «Ele já quase não falava e conseguiu dizer o meu nome» «Não pensei que fosse a última vez que me fosse despedir dele».